terça-feira, 13 de agosto de 2013

The trend in 1400's

I've been waiting to post this for a while. The first encounter I had with these paintings was in my art history class, during my first year at university, with the great Suzanne Lussier, the best teacher I had in Istituto Marangoni. I remember being mesmerised by every detail of the painting. The lighting, costumes and of course, the subject. 
But it was really when I went to National Gallery for the first time after these classes, that I stopped to really look at them (at the real paintings). I recall that on that day, I was drawn to room 56 of the museum for one purpose: The Analfi Wedding by Van Eyck. After staring at the masterpiece for more than 20 minutes, I looked around me and found all the paintings I've studied in my History of Art class so far. The emotion started to grow and my interest as well. 
I then, trying to process every detail and every corner of the paintings, noticed one of them had a woman wearing multiple rings, and one in particular that caught my eye, smaller than usual, which she used in an unusual way. At the time, December 2010, this trend wasn't really existing. And I remember my friend Gabi commented she really wanted a ring like this, desire awaken after she went to the then not very known Brick Lane market, and found a stand selling rings like this. I remembered her in the same second I focused my eye on the hands of this painting by Rogier van der Weyden, from 1465. 
I don't know why but I really wanted to share this story here. Both paintings bellow are from Rogier van der Weyden.

---

Estou querendo postar essa estória a um tempo. A primeira vez que vi esses quadros foi na minha aula de História da Arte, no meu primeiro ano de faculdade, com a grande Suzanne Lussier, a melhor professora que tive no Istituto Marangoni. Me lembro que, durante as aulas, fiquei encantada com esses quadros, e os detalhes escondidos, a luz, as roupas, e claro, as personagens retratadas.
Mas foi durante uma visita que fiz ao National Gallery, um dos grandes museus aqui de Londres, situado na famosa Trafalgar Square, que parei para analisar de verdade as obras. O que me levou para a sala 56 do museu foi o quadro The analfi Wedding, de Van Eyck, que também é incrivelmente contagiante, e me fez perder a noção do tempo e de espaço por 20 minutos. Depois disso, saí do meu transe e olhei a minha volta, e descobri que aquela sala era muito mais do que o quadro de Van Eyck. Tinha praticamente todos os quadros que estudei nessa tão lembrada aula de História da Arte.
Todos eram incríveis, mas os que me chamaram atenção foram os retratos de personagens femininos. Eu então, tentando processar cada detalhe dos quadros, reparei que tinham algo em comum. As mulheres estavam usando vários anéis, em ambas as mãos, mas em lugares inusitados. O que me chamou a atenção foi que haviam anéis antes dos nós dos dedos, bem pequenininhos. Nessa época, dezembro de 2010, isso ainda não estava na moda, e você não encontraria em nenhuma revista ou street style blog. E também lembro que minha amiga Gabi comentou que queria muito um anel assim, porque viu uma barraquinha no Brick Lane Market (que na época não era nada conhecido e ainda era cool) vendendo esse tipo de anéis. Me lembrei dela assim que reparei nesse detalhe incrível. Não sei porque, mas queria muito compartilhar essa estória aqui...
Ambos os quadros abaixo foram pintados por Rogier van der Weyden.


Portrait of a Lady, Rogier van der Weyden, 1465. National Gallery, London, UK.

Portrait of a woman, Rogier van der Weyden, circa 1430. Gemäldegalerie, Berlim, Germany.

Nenhum comentário:

Postar um comentário